quinta-feira, 17 de novembro de 2011

MAIS UMA VEZ VITÓRIA...

Nos últimos meses, depois da palavra câncer, a mais usada e lembrada em minha mente cansada é “TRANSFORMAÇÂO”. Às vezes tenho a impressão que estou me tornando um ser acéfalo, mesmo que instantaneamente, e numa linha contínua, essas palavras e tantas outras que gostaria de elaborar, ajuntá-las e transmití-las aqui me fogem completamente. Alguém por favor me responda, isso é normal? Seria pelo motivo do turbilhão de sentimentos, pensamentos, medos, inseguranças e tantos outros fantasmas que são instalados em nosso cérebro simultaneamente com essa doença intrusa única certeza que tenho é que tudo tá muito confuso, talvez até pela bateria de drogas medicamentosas fortes associadas à rainha mãe ‘quimioterapia’, bem como todo esse processo incerto e doloroso que tentamos dignamente conviver e tirar de letra. Mas como isso é difícil! Mas mente sequelada deixada em segundo plano, vamos lá. Gostaria de escrever textos que falasses de flores, de beleza, de transformação que fossem de maneiras mais amenas, menos radicais a esta que estou vivendo, mas enfim, é um momento meu que ninguém irá viver por mim. Postei última vez num momento que, achava eu, estava mais tranqüila, pelo menos sem dor naquele momento, esperançosa e na certeza que já tinha passado o pior, mas não, as surpresinhas que as amigas tanto narram aqui em seus blogs, me acometeram novamente. Mais uma semana de febre, dor, choro, desespero meu e de toda família, mais visitas de tantos outros familiares que vieram de longe para prestar sua solidariedade e amor por mim, mas de verdade, pensei que não resistiria, houve momentos que fraquejei feio e me evergonho por isso, pedi ao Papai do Céu que acabasse logo com isso, não suportava mais tanta dor, tanta interrogação, medicamentos não respondendo, efeitos da quimio que são horrendos; mas já no finnal da semana passada estava agradecida e de bem com a vida, depois da retirada de quase 1 litro (é isso mesmo, não estou exagerando) de ceroma da mama dodói. Fico imaginando até agora como agüentei (alguém já teve unheiro? Aquela dorzinha insuportável quando está inflamado? Poisé, um milímetro do que saiu de dentro de mim, imaginem vocês!). Sei que foi o Senhor me carregando e respondendo às orações de um exército de anjos que oram por mim. Hoje ao acordar quando passei a mão pelos cabelos, a surpresa esperada mas desconhecida até então: eles saiam aos montes, como se estivessem derretendo e sem o menor esforço. Minha filha que ficou louca tadinha. Eu também, claro, mas tive que me conter pelo pavor que ela ficou, apesar de saber que isso ia acontecer, e o que me interessa é simplesmente minha cura. Cabelo cresce, a mama será reconstituída e não importa o tempo que terei que ficar assim, contando que eu esteja bem e sem dor (o que acho pouco provável, mas espero que nenhuma com a intensidade do que vivi, nunca havia sentido nada igual) e acima de tudo curada para ter minha vida de volta.
Obrigada a todos vocês que passam por aqui, comentam e estão na torcida por mim, saibam a recíproca é verdadeira, oro por vocês e sei, isso daqui um tempinho curto será apenas uma página virada de muito aprendizado e vitórias!
Bjus
Cris

7 comentários:

jvianei disse...

Olá Cris, puxa vida, o que dizer diante de postagem tão sofrida???
O que posso dizer é que em minhas orações, sempre incluo meus amigos e amigas, que navegam junto comigo nesse mar revolto e carregado de sofrimento e incertezas. Assim, me despeço, pedindo à Deus que olhe por voce, se compadeça alivie as suas dores, e restabeleça sua saúde.
Forte abraço

Cristina disse...

Cris
Nessa fase ficamos assim mesmo e sei que não é fácil, um dia estamos bem, outros não. Esse tratamento tb mexe muito com os hormônios e tudo parece estar revirado, eu tinha cada coisa....os meus cabelos caíram depois de 14 dias da primeira quimio, eu já tinha cortado curto para o impacto ser menor, aí fui lá e raspei, porque fica caindo e é muito ruim. Meu filho quando me viu careca ficou tb muito triste, mas depois acostumou. O importante é vc ter fé e saber que vai passar e vc vai ficar curada. Estamos juntas minha amiga, tamo no mesmo barco. Obrigada pelas palavras de carinho em meu blog. Força viu e vc está em minhas orações! Bjsssssssssss

O SOL do amanhã... disse...

Cris, há dias que acordo com a sensação de vitória no coração, outras vezes me sinto tão pequena e tão fraca, acho que tudo isso faz parte da vida de quem convive com essa doença, ainda mais você (assim como o Ricardo) que além de tudo isso ainda tem que aprender a conviver com a dor. O que nos mantem em pé é essa vontade louca de viver, e a minha sorte é que meu filho é a ancora que prende o Ricardo a vida. Peço a DEUS sempre que fortaleça meu filhote pra saber lidar com tudo isso que nos aconteçe e que nada venha a se tornar um trauma, apenas um aprendizado pra se melhorar como pessoa sempre... Um bjo enorme a você e que tudo venha a se resolver com sucesso na sua e na nossa vida!!!

Iza disse...

Cris, somos bem parecidas mesmo. Além do cãncer temos que nos manter longe do negativismo e da depressão. Muitas vezes, com os problemas que estou enfrentando, sinto-me cansada. Mas, percebo que as minhas forças se renovam no dia seguinte.
Querida, sei que as suas forças serão renovadas sempre.
Beijos!

Manuela disse...

Não fique mal!
Tudo dará certo, isso vai passar!!
Eu sinto dores latejantes também.
To prestes a iniciar a quimio, ja com promessas de passar o ano novo carequinha. Mas nada disso importa.
O que importa é que estaremos aqui pra cuidar dos nossos filhos.

Bjs

Solange disse...

Cris, "um dia de cada vez", como diz minha amiga Drica...é uma fase, ruim, difícil...mas passa. Somos forte, para zelar e lutar por aquilo de mais sagrada que Deus nos deu: a vida. Então...maõs a obra amiga! Conte comigo...estamos juntas, sentimos tudo isso juntas. Conte comigo na torcida.
Beijos da Sol

Irleyse Garcia Costa de Sa disse...

Vamos cotinuar na luta amiga
e vaaaaamos conseguir
bj enooorme